Brincar, brincar e brincar. Isso faz bem?

Fica a Dica

Brincar, brincar e brincar. Isso faz bem?

Claro que sim

A professora da Universidade de Estadual de Londrina e líder do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Brincar, Infância e Diferentes Contextos, Cleide V. Mussini, explica que o diretor é reconhecido internacionalmente há mais de 50 anos, quando houve a assinatura de Declaração prevê que o brincar é uma vertente do direito a liberdade. “O brincar é a ação própria da infância e um dos elementos formadores da personalidade infantil. É um fator determinante no desenvolvimento emocional, psicologia, cognitivo e social da criança”.

Mas o que é brincar?

Será que a criança está brincando apenas quando pega um carrinho ou inventa histórias com bonecos? A resposta é não. Essas são apenas algumas das infinitas formas de brincar, inclusive há algumas bem mais simples que passam despercebidas no dia a dia.

Esfregar as mãos nas paredes, nas mesas, brincar com animais, jogar um objeto para o ar ou mudar-lo de lugar permite que a criança esteja brincando, além disso, está conhecendo o mundo ao redor através de seus sentimentos.

As vezes, esses comportamentos são tidos como traquinagens. Entretanto, esses momentos contribuem para a formação da criança tanto ou mais que brinquedos industrializados. O importante é que pais e educadores deem liberdade às crianças para que elas possam se expressar e vivenciar novas experiências.

Mas sem esquecer que limites existem e são necessários.

 

Apesar do brincar se um comportamento espontâneo da criança, o adulto deve criar situações que estimulem a brincadeira.

Tags :
cnslb,Colégio Nossa Senhora de Lourdes Botafogo,conteúdo acadêmico,saúde

Compartilhe isso :

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Faça já a Matrícula

Educar com Valores, Excelência e Alegria